PROJETO AMI (Academia da melhor idade)

Comentário da Dra Nair Guimarães:

“A palestra do professor Roberto Nagahama sobre a ACADEMIA AO AR LIVRE será muito importante porque não temos experiência semelhante no Estado de São Paulo.Trata-se de uma academia de custo baixo, instalados ao ar livre, podendo ser utilizada por qualquer pessoa da comunidade e em qualquer hora.Terá a supervisão de professores de educação física e de fisioterapeutas

O município de Nova Odessa comprou nove equipamentos, e nossa Academia será instalada em breve.

Na palestra, além da explicação técnica para os professores de educação física e fisioterapeutas, o assunto abordado é de interesse de toda a comunidade e de gestores, que poderão conhecer os excelentes resultados obtidos pelo município de Maringá com as 10 academias já instaladas, muitas delas patrocinadas por empresas.

Conhecemos este projeto através da REDE DE MUNICÍPIOS POTENCIALMENTE SAUDÁVEIS, coordenada pela Dra Ana Maria Sperandio.

Anexo o convite, que solicitamos serja divulgado para o maior número de pessoas.

Contamos com sua presença!

Pela rede local de Nova Odessa,

Nair S.N.Guimarães

Médica Sanitarista”

LANÇAMENTO DO VI VOLUME DA REDE

Lançamento do VI volume da série:

O plano diretor: uma ferramenta para o desenvolvimento das políticas públicas de um Município Potencialmente Saudável.

Volume II: Gestão Ambiental: estratégias para o desenvolvimento saudável e sustentável.

Dia 10 de maio de 2007

Horário: 14h00

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo FEC – UNICAMP

IMPLEMENTAÇÃO DO NÚCLEO EM ITATIBA

Núcleo de Prevenção das Violências

ITATIBA 10/04/2007

Reunião discute a implementação do Núcleo de Prevenção das Violências

A Prefeitura de Itatiba e o Comitê Intersetorial da Rede de Municípios Potencialmente Saudáveis – RMPS realizaram na manhã desta terça-feira, 10 de abril, no Auditório da Secretaria da Saúde, uma reunião para a implementação do Núcleo de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual e de Prevenção das Violências e Promoção da Saúde.

O evento contou com a presença do secretário municipal da Saúde, dr. João Batista Chaves, do secretário da Educação e coordenador do Comitê da RMPS, prof. Salim Andraus Júnior, dos secretários Carlos Alberto Amaral, de Cultura, Esportes e Turismo; José Marcos Medeiros, de Obras e Meio Ambiente; Eliana Pelliser, da Ação Social; prof. Siles Sanfins, da Administração; representantes da Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros, Departamento de Trânsito, Conselhos Tutelar e de Segurança, entidades e instituições e segmentos sociais que atuam no combate à violência.

Desde 2004, a Prefeitura tem investido na integração entre os diversos setores públicos e segmentos da sociedade civil organizada, no sentido de unir esforços no combate às diversas formas de violência. No ano passado, integrantes das instituições que participam da rede de atendimento às vítimas da violência sexual foram capacitados para aprimorar o trabalho, recebendo orientações e um manual com as principais recomendações.

Esse trabalho foi iniciado a partir do Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente – CMDCA e do Conselho Tutelar e reuniu representantes de vários segmentos. Também foi organizada a II Semana de Combate ao Abuso Sexual contra Crianças e Adolescentes, envolvendo grêmios estudantis e escolas da rede municipal de ensino.

Todas essas ações têm o apoio da Rede de Municípios Potencialmente Saudáveis, que conta com apoio técnico da Organização Pan – Americana de Saúde (OPAS/OMS), da Unicamp – Departamento de Medicina Preventiva e Social da Faculdade de Ciências Médicas, do Instituto de Pesquisas Especiais para a Sociedade (IPES) e dos municípios membros, entre eles Itatiba. A coordenação é realizada pela profa. dra. Ana Maria Girotti Sperandio.

Ainda no ano passado, o Comitê Intersetorial, como a orientação da RMPS, apresentou o Projeto de Implementação do Núcleo de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual e de Prevenção das Violências e Promoção da Saúde, junto ao Ministério da Saúde. Itatiba foi contemplada com recursos de cerca de R$ 50 mil para custear a implementação do projeto.

A reunião teve como objetivo motivar os setores do serviço público e da sociedade civil a participarem do trabalho e orientar e preparar os interessados para participarem de uma oficina para apresentar e discutir as propostas de atuação para esse ano. Na oportunidade foi distribuída uma ficha informativa que deverá ser preenchida pelos participantes e devolvida ao comitê, até o próximo dia 20. A oficina acontecerá no próximo dia 27 de abril, entre 8 e 17 horas, no Centro de Convivência da Melhor Idade “Profa. Ângela Lygia Parodi Scavone, na Rua Ângelo Perdão, no Jardim Vitória.

Envolvimento e ações preventivas

Na abertura da reunião, o Secretário da Saúde destacou que a violência, hoje, se manifesta de diversas maneiras e atinge principalmente a criança, o jovem, as mulheres e os idosos. “É um problema de toda a sociedade, cuja solução precisa do esforço e do envolvimento de todos os segmentos, tanto no âmbito dos serviços públicos (municipais, estaduais e federais), como da sociedade civil organizada. Somente com a união e mobilização de todos é que construiremos a solução para essa questão grave.”, comentou o dr. Chaves.

O prof. Salim ressaltou a importância do trabalho integrado proposto pela Rede, motivando o envolvimento e a participação de todos os setores em busca de resultados concretos. “Com a soma de esforços e recursos certamente alcançaremos melhores resultados. É preciso que toda a comunidade se comprometa a trabalhar pela Paz.”, disse.

O secretário da Saúde acrescentou que é importante a adoção de ações preventivas para evitar os danos e conseqüências decorrentes da violência. “Essa postura está de acordo com a proposta da Administração Municipal em promover a saúde integral da população, no lugar de apenas curar as doenças. A implementação do Núcleo de Prevenção Contra as Violências é um passo importante para isso.”, finalizou o dr. João Chaves.

Estatísticas da Violência em Itatiba

Durante a reunião foram apresentados alguns números importantes relacionados com a violência no município. Em 2004, o número de mortes por causas externas (relacionadas com violência) foi de 62 casos, representado a terceira causa de mortalidade. A primeira foi decorrente de doenças no aparelho circulatório, com 193 casos, seguida das neoplasias (câncer) com 85 casos. Em 2005 foram registradas 66 mortes por causas externas, em 2006 registrou-se 63 casos.

As três causas predominantes são agressões disparo por arma de fogo, acidentes de veículos e em terceiro lugar acidentes com pedestres. A violência representa hoje uma das principais causas de morbi-mortalidade, especialmente entre a população jovem.

Enquanto os homicídios, em sua maioria, ocorrem no espaço público e atingem particularmente os homens, a violência sexual afeta em especial as mulheres e ocorre no espaço doméstico. Essa violência, em particular o estupro atinge, sobretudo meninas adolescentes, as mulheres jovens no Brasil e no mundo.

Os estudos sobre o tema indicam que a maior parte da violência é praticada por parentes, pessoas próximas ou conhecidas, tornando o crime mais difícil de ser denunciado. A violência sexual produz seqüelas físicas e psicológicas. As pessoas atingidas ficam mais vulneráveis a outros tipos de violência, à prostituição, ao uso de drogas, às doenças sexualmente transmissíveis, às doenças ginecológicas, aos distúrbios sexuais, à depressão e ao suicídio.

O enfrentamento da violência exige a efetiva integração de diferentes setores, tais como saúde, segurança pública, justiça e trabalho, bem como o envolvimento da sociedade civil organizada.

A garantia do atendimento às pessoas que sofreram violência sexual nos serviços de saúde representa, por conseguinte apenas uma das medidas a serem adotadas com vistas à redução dos agravos decorrentes deste tipo de violência. A oferta desses serviços, entretanto, permite às vítimas o acesso imediato a cuidados de saúde a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, e, a gravidez indesejada.

Assessoria de Comunicação Social

comunicacao@itatiba.sp.gov.br

ESPAÇO SAÚDE-MARINGÁ

Espaço Saúde deste sábado será no Ney Braga

Neste sábado (31), será realizada a terceira edição do Espaço Saúde deste ano. A ação será no posto de saúde Ney Braga, das 13 às 18 horas. O Espaço Saúde, uma ação do programa Maringá Saudável, será realizado em frente ao posto de saúde. Além de servidores municipais, professores, técnicos e alunos de cursos de diversas instituições de Ensino Superior de Maringá, vão colaborar com a realização do evento. O Espaço Saúde está inserido no programa Maringá Saudável, que segue as diretrizes de “municípios de comunidades potencialmente saudáveis” da Organização Mundial da Saúde – OMS, e da Organização Pan-Americana de Saúde – Opas, Unicamp e Instituto de Pesquisas Especiais para a Sociedade – IPES. É um projeto inovador, focado na mudança da cultura do tratamento da doença para o investimento na promoção da saúde.

Na entrada do evento as pessoas serão orientadas para a visitação aos estandes, onde poderão degustar alimentos saudáveis; se informar sobre a dengue; receber orientações sobre prevenção de câncer intestinal; realizar e coleta de material para exame de prevenção do câncer do colo do útero; sobre saúde bucal; aferição pressão arterial; testar o condicionamento físico; receber informações sobre amamentação; verificar medidas corporais e antropométricas; obter informações sobre verminoses; receber vacinas complementares do esquema básico de vacinação; ser orientadas sobre os malefícios do tabagismo e alcoolismo; receber orientações nutricionais; e ter aconselhamento sobre mudanças de hábitos. Também serão oferecidas orientações sobre plantas medicinais; informações sobre limpeza e manutenção da cidade; atividades recreativas e lúdicas para as crianças para prevenir acidentes de trânsito; e glicemia capilar.

A meta é melhorar a qualidade de vida dos maringaenses, a partir de uma série de atividades físicas, culturais, esportivas, educacionais, nutricionais e de cidadania. A base do trabalho é a participação popular. As comunidades são ouvidas. As propostas agrupadas e analisadas pelo Grupo de Trabalho Inter-setorial do Maringá Saudável.

VIVA MAIS

Outra ação do Maringá Saudável visando a qualidade de vida da população é a campanha “Viva Mais”. A proposta é a obtenção de mais saúde, bem-estar e disposição através da prática de 30 minutos de atividades físicas diárias, ingestão de cinco porções de frutas, legumes ou verduras, e ingestão de oito copos de água.

Para as atividades físicas, o programa sugere, por exemplo, que a população passe a ir ao supermercado a pé; desça do ônibus alguns pontos antes; cuide de jardim ou horta; brinque com uma criança; faça alongamento; suba pela escada ao invés de usar elevador; leve o cachorro para um passeio.

Sobre a alimentação, o Viva Mais sugere que sejam feitas cinco refeições por dia, acrescentando um vegetal, suco ou fruta em cada uma dessas refeições.

A respeito da hidratação, deve-se beber no mínimo oito copos de água por dia, aumentando a quantidade se o clima estiver mais quente ou de acordo com a atividade física.

Serviço:___________________________________________________

O posto de saúde Ney Braga fica na rua João de Barro, esquina com a rua Ema. O telefone é 3901-1882. informações com a coordenadora do Maringá Saudável, Ana Rosa Palácios, pelo telefone 3218-3181.

PROGRAMA MARINGÁ SAUDÁVEL

Espaço Saúde teve atividades no Cidade Alta

Assessoria de Comunicação – Ariana Zahdi

O bairro Cidade Alta teve, no último domingo (25) edição do Espaço Saúde. Ação do Maringá Saudável, o evento reuniu mais de 500 participantes, que puderam verificar suas condições de saúde e aprender sobre qualidade de vida. No próximo sábado (31) a ação será realizada no Conjunto Ney Braga. A meta é melhorar a qualidade de vida dos maringaenses, a partir de uma série de atividades físicas, culturais, esportivas, educacionais, nutricionais e de cidadania.
A professora Adriane Oliveira destacou que esta é uma oportunidade da população ter contato com os hábitos saudáveis: “podemos saber mais sobre saúde e prevenção de doenças. Também é uma oportunidade de melhorarmos nossa vida através dos bons hábitos”.
Além de servidores municipais, professores, técnicos e alunos de cursos de diversas instituições de Ensino Superior de Maringá, colaboraram com a realização do evento. O Espaço Saúde está inserido no programa Maringá Saudável, que segue as diretrizes de “municípios de comunidades potencialmente saudáveis” da Organização Mundial da Saúde – OMS, e da Organização Pan-Americana de Saúde – Opas, Unicamp e Instituto de Pesquisas Especiais para a Sociedade – IPES. É um projeto inovador, focado na mudança da cultura do tratamento da doença para o investimento na promoção da saúde. A base do trabalho é a participação popular. As comunidades são ouvidas. As propostas agrupadas e analisadas pelo Grupo de Trabalho Inter-setorial do Maringá Saudável.